Conheça nossos teachers e saiba o que os ajudou a aprender outra língua!

 

Desde muito jovem a língua inglesa sempre foi algo que me interessou. Estudei por vários anos no Brasil, onde fundamentei as bases do idioma, e achei que estava fadado a um uso esporádico e limitado ao vocabulário adquirido naquele período.

Em 2013 tive a oportunidade de viajar para a Europa, onde passei um ano, e me orgulho de dizer que o fiz com o inglês apenas. As pessoas adoram falar e ser ouvidas, e o inglês me proporcionou algumas das conversas mais interessantes da minha vida junto com grandes amizades, as quais para sempre levarei com carinho. Nessa época também me dediquei a algumas causas sociais e tive a minha primeira experiência como professor. Foi algo extremamente recompensador! Poder transmitir conhecimento e ver a evolução dos alunos é algo singular e que me trouxe o interesse pela profissão. Procuro sempre ser dinâmico e interagir ao máximo com os alunos, sempre disponível para conversar e instigar os mesmos a falar e aprender sem medo. Séries, filmes, jogos e até a maneira como você recebe as aulas são outras das várias maneiras que podem ser utilizadas para melhorar seu vocabulário, gramática e familiaridade com o idioma. Remember: a simple 'hello' can lead to a million things.

Teacher Ricardo

Quando pequeno sempre fui muito interessado em aprender coisas novas; procurava livros de biologia, história, matemática e tudo que pudesse encontrar em casa para aprender algo novo. Era fascinado em aprender coisas diferentes, claro que rapidamente me interessei também por este idioma diferente que é o inglês. O primeiro contato que me lembro foi com um livro da Disney, onde havia pequenas histórias na língua inglesa, acredito que esse foi o momento que abriu meu interesse. Alguns anos depois ganhei meu primeiro video-game e jogando um jogo muito famoso, The Legend of Zelda: A Link to the Past, me vi forçado a entender o inglês, por que queria muito compreender a história por trás do game, então lá ficava eu na frente da televisão com um dicionário tentando decifrar o que fazer dentro do jogo. Com esse esforço todo, aliado também ao gosto que adquiri à músicas estrangeiras e filmes, de repente já conseguia entender o idioma. Aprendi a língua aos poucos utilizando coisas que gostava. If you study doing things you like, it stops being a chore and starts being fun. Gosto muito de ensinar e acredito que isso me ajuda a trazer aulas dinâmicas e interativas para os alunos. Uma dica aos alunos é não ter medo de errar e praticar o inglês sempre que possível, aumente seu contato com o idioma, mude o idioma padrão do facebook para o inglês, tente entender as músicas que ouve, procure utilizar coisas do seu dia a dia de forma a serem ferramentas para seu aprendizado!

Teacher Marlon

Desde criança gostava de músicas internacionais e de assistir a filmes legendados, então consequentemente estava sempre em contato com o inglês, mas foi aos doze anos que esse contato se intensificou. Comecei um curso de inglês e me interessei muito na maneira como as aulas se davam: de forma leve, descontraída, dinâmica; diferente do que eu estava acostumado na escola. Eu gostava do meu grupo e da minha teacher, então a aprendizagem do idioma acontecia de maneira prazerosa. À medida que eu ía aprendendo, eu ía me envolvendo mais e mais com músicas, filmes e seriados e agora, além disso, queria viajar, conhecer o mundo e o inglês era a chave para isso! Sempre fui muito falador e por conta disso, ser professor sempre esteve como uma das minhas possíveis profissões, só me faltava decidir que matéria lecionar. Foi em 2014 que eu tive minha primeira experiência como teacher e desde então trabalho neste ramo, o que é muito bom porque, para mim, ensinar é aprender! Até então nunca tinha estado fora do país, mas entre novembro de 2015 e janeiro de 2016 fiz um intercâmbio profissional em Orlando e trabalhei na Disney em um programa com características de estágio, onde pude praticar com nativos. Uma dica que sempre dou é: se envolva ao máximo com o inglês no seu dia a dia: configure seu celular no idioma, o Facebook, o Instagram, ouça músicas internacionais, assista sua série favorita em inglês... Esse convívio diário é o que nos leva à aquisição de mais vocabulário e é importantíssimo para a fluência! Learning English is fun! 

Teacher Alei

Eu sempre gostei muito de falar e, desde criança, já me “destacava” por ser muito comunicativa, ou melhor, tagarela. A partir da quinta série, iniciei meu contato com a língua inglesa, porém, por estudar em uma escola pública, o acesso era muito limitado. A vontade de falar outro idioma foi mais forte e continuei estudando através de dicionários, livros didáticos, músicas e filmes. Ao fim do Ensino Médio, considerando o fato de que eu queria uma profissão em que eu pudesse falar muito, decidi ir atrás dos cursos de Letras ou Turismo, optando pela primeira opção. Aprendi muito nestes últimos anos e, hoje, como recém-formada em Letras, posso afirmar que estou pronta para colocar em prática tudo o que eu aprendi. Durante a faculdade, tive a oportunidade de trabalhar como tradutora técnica e auxiliar de eventos, o que ajudou no meu inglês e na minha comunicação. Penso que escolhi lecionar para poder passar meu conhecimento adiante e saber que, de alguma forma, eu posso contribuir para a educação. Para aprender língua inglesa é preciso perseverar. Nunca tenha medo de errar, pois os erros são parte da aprendizagem. Study and practice, either alone or with others, mentally or in front of the mirror and make sure you find a method of learning which you feel comfortable with. Tudo isto é essencial para compreender o idioma até que você se acostume com ele e torne-se fluente.

Teacher Danúbia

O primeiro contato que tive com o a língua inglesa se deu, assim como com quase toda criança da minha época, através dos video games e das músicas que tocavam nas rádios. Sempre quis saber sobre o que aquelas músicas falavam, então passei a traduzir as letras por conta própria e compará-las às traduções que eu encontrava na internet. Naquele momento, o "porquê" foi muito mais importante do que o "como". Foi a vontade de entender as minhas músicas preferidas que fez com que eu passasse horas lendo e ouvindo o idioma. Mal sabia eu que aprender um novo idioma me abriria as portas pra um mundo de novas possibilidades na música, cinema, trabalho, pesquisa e tantas outras áreas. Foi aí que resolvi me matricular em um curso de idiomas e, mais tarde, fazer um intercâmbio para a Irlanda, onde morei por um ano. Mais do que aprender um idioma pelo idioma, aprender inglês mudou minha forma de pensar e ver o mundo, e superar as barreiras que a comunicação muitas vezes nos impõe. Learning English is just like a road trip...all the way to the destination can also be a lot of fun!- Daniel França

Teacher Daniel

Sou a teacher Ana e ensino inglês há mais de 10 anos. Tive interesse pela língua inglesa desde quando comecei a falar, pois ficava perguntando para a minha mãe como era o nome das coisas em inglês e foi a partir daí que, sem querer, aprendi sozinha a língua através da música. Comecei a traduzir letras de músicas que sempre amei com a ajuda do meu primeiro dicionário e quando menos esperava, já estava ficando fluente! Quando procurei uma escola de idiomas para complementar o que eu já havia aprendido, para minha surpresa, fui direto para o nível avançado. Comecei a lecionar logo após realizar meu primeiro exame de proficiência (TOEFL) e não parei mais; fiz algumas viagens para fora do país e assim pude sentir na pele, a importância de dominar a língua inglesa! Learning a language and having fun at the same time is possible, just find what really interests you in English and enjoy yourself! Espero poder inspirá-los para praticar e aprender mais a língua inglesa!

Teacher Ana

Como nativa na língua inglesa vinda da Irlanda para o Brasil, senti a necessidade de aprender Português. Eu já estou aqui há 3 meses e o meu Português ainda é bem básico, mas estou gostando de aprender uma nova língua e uma nova cultura. Trabalhando como professora de Inglês, posso me relacionar com os alunos e suas lutas para aprender uma nova língua. Acho que a melhor maneira de aprender é não ter medo de cometer erros e falar com as pessoas. Quando visitei o Brasil pela primeira vez há alguns anos atrás, eu só sabia algumas palavras em Português e tinha medo de dizer qualquer coisa e as pessoas não me entenderem. Eu acho que o método Callan é bom por esta razão, pois você está constantemente a falar em sala de aula. Por isso, quando você sai para o mundo real não é tão intimidante. Tente praticar um pouco todos os dias conversando, assistindo TV, lendo livros e revistas etc. E quando puder, pratique conversação com as pessoas. Remember: making mistakes is no big deal!

Teacher Roisin

Logo após ter nascido no Brasil, eu mudei para o Estados Unidos e aprendi inglês como minha língua nativa. Morei meus primeiros dez anos no Estados Unidos, e depois retornei ao Brasil onde aprendi o português ao interagir com o povo brasileiro e sua cultura pelas conversas, músicas, filmes, livros, e outros estímulos de imersão. Anos depois eu retornei ao Estados Unidos e fiquei por mais cinco anos reconhecendo a cultura de lá. Atualmente estou no Brasil há três anos. Diariamente eu prático meu inglês falando com meus amigos, assistindo vídeos em inglês, e lendo livros, e ao mesmo tempo falando português com a minha família, com os brasileiros, e lendo, contudo sou mais ativo no inglês, o que se reflete no meu sotaque exorbitante. If you wish to learn something, to truly master it, you must concentrate on practicing it frequently and deeply. Seja uma língua estrangeira, seu vocabulário, uma música ou instrumento, eu acredito que se uma pessoa realmente quer aprender, ela aprenderá. Algumas coisas são mais difíceis que outros, e nem tudo é tão claro para um que para outros. Porém, cada jornada começa com um único passo, e como o mundo gira, nossos destinos também se movem. Um único passo pode começar a nossa jornada, mas para que nosso destino não fuja, deveremos dar um passo a cada dia.

Teacher Juliano

A curiosidade pelo estrangeiro se faz presente em minha vida desde que era nova, sempre me interessei em conhecer diferentes culturas e estilos de vida. Fui introduzida à língua inglesa na escola em que estudei aos 9 anos de idade. Lá, conheci palavras básicas e aprendi a formar frases simples. Com a base que tive na escola e pelo fato de gostar muito de música, principalmente internacional, pude ampliar meu vocabulário e entendimento da língua. Costumava pesquisar na internet letras de músicas em inglês, as escrevia em um caderno e as comparava com suas traduções na internet. The main factors that helped me learn English were my curiosity and will to learn. Sempre me interessei em buscar traduções e pronúncias de novas palavras. Gostava de praticar o que já havia aprendido com jogos online. Tive também a oportunidade de me comunicar diariamente com pessoas de várias partes do mundo e, sem medo, tirava minhas dúvidas sobre estrutura de frases etc. 

Teacher Heloísa

Minha histórinha de <3 com a língua inglesa começou por volta dos 11 anos, quando meu passatempo preferido era tentar reescrever e entender letras de música em inglês, pausando o áudio a cada estrofe (sim, demorava muito). Estudei formalmente por alguns anos e comecei a dar aulas para crianças e adolescentes aos 19, tendo a profissão de teacher como a única possível que realmente uniria prazer e ganha-pão.

Dos 21 aos 24 anos morei em Londres, onde estudei, trabalhei e conheci gente do mundo inteiro. Sei que para muitos alunos, aprender inglês é obrigação e que uma estadia longa em um país onde a língua é falada é um privilégio muitas vezes fora de alcance, por isso, o que mais procuro instigar neles, antes de qualquer outra tentativa de assimilação da língua,  é o gosto em aprendê-la. O que te move? Carro, maquiagem, PNL, matemática, rock, samba, história da arte? Pega isso e comece a assistir a vídeos, filmes, ler sobre o assunto...em inglês! Pensar em coisinhas banais do dia-a-dia na nova língua, fazer a lista do supermercado e praticar sem medo de errar também são práticas que, aos poucos, vão nos liberando das amarras da vergonha e do medo. Quando o foco do aluno de língua estrangeira é o mundo de possibilidades, oportunidades e conhecimento que está por vir e não a obrigação de aprendizado, a gramática, a pressão do trabalho e o medo de ser avaliado, tudo fica mais fácil e o caminho bem mais suave! Além disso, a 'aceitação' do novo idioma como novo é muito importante. O inglês nem sempre acha referências na nossa língua materna, então não dá para tentar achar conforto no português quando a coisa começa a ficar difícil... Don't worry too much, fall in love, drop your guard and be patient: that's how you let the magic begin!

Teacher Ju
A língua inglesa sempre esteve presente de alguma forma em minha vida. Estudei por alguns anos no Brasil, onde adquiri as bases fundamentais do idioma, tais como vocabulário e gramática. Além do curso de inglês no Brasil, sempre tive vontade de passar um tempo no exterior para entrar em contato direto com o idioma. Em 2008, resolvi que o momento para tal experiência havia chegado. Meu destino foi Washington DC, a capital dos Estados Unidos. Morei durante 2 anos com uma família americana que foi essencial para a minha ótima adaptação no país. Além do convívio diário com o idioma, vivenciar outra cultura e conhecer pessoas de diversos países também foi uma experiência muito interessante. Fiz vários cursos no decorrer desses 2 anos e falar inglês foi tornando-se cada vez mais natural. Músicas, seriados de TV e filmes também auxiliaram meu aprendizado. A partir do momento em que deixamos nossos bloqueios de lado, tudo se torna mais fácil. Don’t be afraid of making mistakes, we only learn through our mistakes!
Teacher Flávia
Morei na Inglaterra por seis anos, onde gerenciei cerca de 60 pessoas em um restaurante super popular no centro de Londres. Durante esse tempo interagindo com pessoas do mundo inteiro, percebi que aqueles que tinham melhor desempenho na língua inglesa eram os interessados,os que faziam perguntas sempre e praticavam sem medo de errar. Vim para o Brasil em 2008 e desde então ensino inglês. Vejo-me em muitos dos alunos, pois também estou aprendendo português e, por experiência própria, recomendo muita prática de listening. É muito mais fácil ler, escrever e até mesmo falar. O grande desafio começa nos ouvidos, so open up your ears!
Teacher Mick
Nasci e cresci na Nova Zelândia, portanto, inglês é a minha língua nativa. Sou apaixonado por viajar e conhecer culturas diferentes. Já estive em quase todos os continentes do mundo e posso garantir pela minha experiência, que poder se comunicar na língua local ajuda muito e permite que a gente conheça pessoas e faça coisas que não seriam possíveis se não falássemos a língua. Agora que me mudei para Joinville, estou aprendendo português e entendo o quanto pode ser frustrante e complexo aprender uma nova língua – novos sons, vocabulário, gramática, construção de sentenças…Tudo parece assustador num primeiro momento. No entanto, o truque para aprender uma nova língua em sua totalidade é ter dedicação e praticar muito. Aprender e praticar um pouco da nova língua todos os dias nos ajuda a alcançar resultados muito mais rapidamente do que praticar poucas vezes por muito tempo. Minha dica para quem quer aprender inglês é to take advantage of using your new skills as much as possible! Se você encontrar um nativo em língua inglesa não se envergonhe! Converse com ele em inglês. Ao contrário do que pensamos, os nativos na língua reconhecem que você está aprendendo, ficam encantados em saber que está tentando falar e te ajudarão se você tiver problemas!
Teacher Ronnie